Hidrômetros: a partir de cinco anos de uso, equipamento exige manutenção e troca

Mau funcionamento do aparelho pode trazer gastos extras aos consumidores; TecHydro pode ser instalado junto com o novo hidrômetro, gerando economia imediata e acompanhamento do consumo em tempo real

 

Avisos aos síndicos e a todos aqueles que moram em condomínios: além da individualização dos hidrômetros, sabia que a partir de cinco anos é preciso revisar ou mesmo trocar os aparelhos, garantindo uma conta de água justa?

Utilizados pelas empresas concessionárias de abastecimento de água para medir o consumo em residências e condomínios, os hidrômetros são equipamentos que precisam funcionar perfeitamente para garantir a medição exata e conseguir estimar eventuais perdas entre o processo de produção e distribuição da água.

 

Para o consumidor, o funcionamento adequado dos hidrômetros é importante para que se possa verificar vazamentos e desperdícios, além de assegurar que a conta de água tenha um valor correto, compatível com o uso ao longo do mês.

 

A recomendação do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) é de que os hidrômetros sejam substituídos a cada cinco anos. O diretor de Metrologia Legal do Inmetro, Raimundo Rezende, destaca que os hidrômetros estão sujeitos a uma série de circunstâncias que podem atrapalhar a medição correta.

 

“Tudo conspira contra os hidrômetros. Eles podem trincar, oxidar e sofrem desgaste natural com o tempo. Além disso, se houver presença de ar nas tubulações, a medição será de um volume maior. Por isso a importância da manutenção periódica e preventiva, de preferência a cada cinco anos”, afirma.

 

Como a troca é feita pelas próprias concessionárias em grande parte do país, os prazos variam bastante, de acordo com a capacidade de investimento de cada uma delas, fazendo com que muitos hidrômetros funcionem por alguns anos além do recomendado.

 

Individualização

A divisão da conta de água nos condomínios virou lei federal. A partir de 2021, todos os prédios novos devem ter hidrômetros individuais, o que vai gerar uma economia de água de 25% por apartamento, segundo estimativa da Sabesp.

 

A economia é bem vista também pelos moradores de prédios antigos. A pauta normalmente é colocada em discussão nas assembleias de moradores, que debatem as vantagens e os custos para adequar a estrutura do imóvel.

 

Informação desconhecida de muitos, a validade dos hidrômetros é um argumento que deve pesar a favor da individualização. Ou seja: vale a pena investir na obra – que vai garantir 25% de economia todo mês, mais a correção de eventuais distorções na leitura por causa dos medidores antigos.

 

Um hidrômetro com muito tempo de uso comumente apresenta problemas na medição, causando prejuízos para as concessionárias (no caso de submedição) e para os usuários (na supramedição).

 

Segundo a pesquisadora Olga Satomi Yoshida, do Laboratório de Vazão do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), o mau funcionamento do hidrômetro traz como maior contratempo para os consumidores os gastos extras gerados por vazamentos não identificados, que podem acarretar aumentos de mais de 10 vezes o valor normal da conta.

 

“Nesses casos, em geral, as concessionárias negociam com as residências um aumento na fatura provocado por vazamento. Mas quando o vazamento é em um apartamento de condomínio residencial vertical, cujo consumo de água é faturado por um único medidor coletivo, pode não haver espaço para negociação para o morador do apartamento onde ocorreu o vazamento”, alerta.

 

Segundo ela, essa negociação ocorre dentro do domínio do condomínio, entre os condôminos, e o apartamento onde ocorreu o vazamento pode ficar com o ônus do gasto extra, sem desconto e sem parcelamento.

 

A pesquisadora afirma que os hidrômetros utilizados para faturamento de água devem medir dentro de uma margem de erro entre 5% e 10%, para mais ou para menos. Se o consumidor perceber um aumento exagerado na média histórica das faturas mais recentes, pode existir algum vazamento e o usuário deve entrar em contato com a concessionária para solicitar uma avaliação.

 

Monitoramento

Com o objetivo de oferecer uma gestão completa do consumo de água, a TecSUS desenvolveu o TecHydro, dispositivo que permite o acompanhamento digital do consumo da água.

 

A ferramenta possibilita a detecção em tempo real de vazamentos e o corte do fornecimento. Para quem precisa trocar o hidrômetro, o dispositivo pode ser um aliado importante para evitar futuros gastos desnecessários, pois pode ser instalado junto com o novo hidrômetro, gerando economia imediata.

 

O TecHydro, ainda, é um aliado para aqueles condomínios que já contam com hidrômetros individualizados, mas recebem uma conta única da concessionária e fazem a gestão internamente, a partir da leitura individual e de um rateio comum. O dispositivo da TecSUS garante a leitura correta do consumo, a partir de cada um dos relógios, dando total controle ao usuário.

 

O monitoramento da TecSUS é disponibilizado para desktop, tablet e celular. Desta forma, o usuário pode tomar decisões imediatas assim que identificar qualquer tipo de desvio no consumo.

 

Comente...
56 visualizações
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

portalje

Jornal Eletrônico é uma publicação Bmx3 www.bmx3.com.br

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.