Saiba como escolher um ar-condicionado

As estações mais quentes vão chegar, em breve, e informações essenciais sugerem os cuidados que devem ser tomados desde a compra até a manutenção do aparelho

É cada vez mais comum a presença de ar-condicionado em residências, que ajuda  a proporcionar conforto nos dias quentes. No entanto, muitas pessoas têm dúvidas na hora de escolher o produto e fazer sua manutenção. Pensando nisso, a Panasonic, líder mundial no desenvolvimento e criação de tecnologias e soluções eletrônicas, preparou dez dicas para ajudar os consumidores.

A compra de um condicionador de ar, popularmente conhecido por “ar-condicionado”, requer alguns critérios e principalmente a consulta a um técnico especializado, que irá identificar as variáveis que podem influenciar na escolha e indicar o melhor local para a instalação, interno ou externo, além do melhor modelo para cada necessidade, considerando tamanho do espaço, quantidade de pessoas, entre outros fatores.

Confira algumas dicas que podem auxiliar o processo:

1 –  Regras do condomínio para ar-condicinado

O primeiro passo é verificar aspectos técnicos necessários, como as regras do condomínio para a instalação do equipamento. Há prédios que não permitem a instalação na sacada ou em áreas que sejam necessárias alterações externas. Por isso, recomenda-se consultar um técnico especializado para não perder tempo e dinheiro.

2 – Ponto elétrico e saída de água

Para a instalação, é preciso um ponto elétrico independente que permita que o aparelho seja conectado a um circuito elétrico com disjuntor específico, assim como ocorre com os chuveiros. Além disso, é necessária uma saída de água (dreno).

3 – Identificação da carga elétrica do ambiente

A unidade de medida do ar-condicionado é o BTU (British Thermal Unit ou, em português, Unidade de Calor Britânica). Quanto maior o tamanho do ambiente em que o equipamento será instalado, maior será a quantidade de BTUs.

Para cada m² são necessários aproximadamente 600 BTUs, e nas regiões mais quentes do país, cerca de 750 BTUs. Mas alguns fatores podem interferir no ambiente: quantidade e modelo de janelas e portas, exposição ao sol, equipamentos ligados à rede elétrica, quantidade de pessoas no local etc. Para um cálculo mais preciso, é importante a visita de um técnico especializado.

4 – Escolha do produto

O produto precisa atender às medidas da área a ser climatizada, considerando o conforto e o baixo consumo de energia, representado pela tecnologia Inverter, presente nos produtos da Panasonic, que regula o fluxo de energia do sistema, alterando a velocidade do compressor.

Sensor de presença: alguns equipamentos que contam com recursos mais avançados, como o ECONAVI, também presente nos ar-condicionados da Panasonic. Esse equipamento possui sensor inteligente, que detecta a presença de pessoas no ambiente e ajusta automaticamente a temperatura, garantindo maior economia e conforto.

5 – Diferenciação entre os modelos

Os modelos mais comuns são do tipo Split, com duas unidades separadas: a interna evaporadora e a externa condensadora. Há, também, o modelo Multi-split, com uma unidade externa e diversas internas, que podem atender a vários ambientes. Esse sistema é indicado para imóveis sem espaço suficiente para condensadoras na sacada.

Os portáveis são aparelhos de corpo único, com rodinhas que permitem a utilização em diferentes ambientes, porém é um modelo com limitações que devem ser avaliadas caso esta seja a única escolha possível para o imóvel. Também com corpo único, os do tipo “janela” são os mais antigos e ficam fixos na parede do ambiente.

6 – Instalação cautelosa

No momento de instalação do produto, deve-se observar as distâncias mínimas de cada unidade, contidas no manual do produto. Isso vai garantir maior eficiência na troca de calor e menor consumo de energia. Evite instalar diretamente sobre a cama, por exemplo, pois o fluxo de ar deve ser indireto, para que a temperatura ambiente seja uniforme e confortável.

É importante contratar uma empresa especializada para que a instalação siga as normas corretas de segurança.

7 – Cuidados básicos com a preservação do produto

Utilizado para proporcionar conforto térmico ao ambiente, o ar-condicionado exige cuidados básicos, como limpeza periódica dos filtros, temperatura mantida a 23°C (suficiente para deixar o ambiente climatizado) e acompanhamento das instruções descritas no manual. Em casos específicos com muita incidência de poeira e outros fatores prejudiciais, é importante a avaliação de um técnico ou empresa especializada.

8 – Limpeza 

Em ambientes residenciais, o próprio consumidor, seguindo as instruções do manual, pode fazer a limpeza do filtro de tela, responsável por manter o ar livre de impurezas e a eficiência de funcionamento do equipamento. Em regiões de praia, a manutenção deve ser periódica e realizada por um técnico especializado, já que a parte externa fica mais exposta a fatores climáticos.

9 – Economia de energia

Além da tecnologia Inverter, que se ajusta automaticamente à necessidade do ambiente, trabalhando de forma mais precisa para manter o conforto e o menor consumo de energia, o consumidor deve utilizar o produto de forma consciente.

É essencial manter o ambiente climatizado sempre fechado, selecionar a temperatura de conforto acima de 23 ºC, utilizar o timer para ligar e desligar o aparelho e seguir as manutenções preventivas, que desobstruem as passagens de ar e garantem o funcionamento eficiente.

10 – Certificado de Garantia

É importante se atentar aos termos descritos no Certificado de Garantia. Seguir essas regras vai assegurar toda a assistência em casos de defeito de fabricação do aparelho.

Manutenção de ar condicionado clique aqui

9 visualizações
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

portalje

Jornal Eletrônico é uma publicação Bmx3 www.bmx3.com.br