Tomar água aumenta produtividade no trabalho

A desidratação pode atrapalhar memória, atenção e reação

A gente já sabe que a água traz diversos benefícios para o organismo. Ela ajuda a emagrecer, faz bem à pele, colabora na produção de colágeno, que evita o envelhecimento, regula o intestino, entre tantas outras coisas.  Mas, você sabia que a água pode influenciar também na sua produtividade no trabalho?

Cientistas já dizem que pode existir uma ligação entre a água e a redução cognitiva, que é, basicamente, a perda de atenção. Acredita-se que quando sentimos muita sede, o corpo entende que está faltando algo e a água se torna uma questão de sobrevivência e passa a ser necessário manter tudo regulado. Assim, o corpo entende que tem questões mais urgentes do que ler relatórios ou enviar e-mails.

O médico nefrologista da Paraná Clínicas, Carlos Augusto Azevedo Bornancin, conta que o corpo precisa de uma quantidade mínima diária de líquidos, que é de 30 ml por quilo de peso. Ou seja, uma pessoa de 70kg necessita de 2.100 ml de líquido por dia. “Pode-se ingerir sucos naturais, chás, chimarrão, e outras bebidas, mas o ideal é de que seja água. O corpo avisa quando está com sede. Mas, para funcionar muito bem, o indivíduo deve estar bem hidratado, porque 70% do organismo é composto por água”, salienta o médico.

Pesquisas ainda mais recentes garantem que nem é preciso estar muito desidratado para que a produtividade no trabalho caia. Uma pesquisa feita por pesquisadores do Instituto de Pesquisa do Cérebro e da Mente, da Faculdade de Medicina Weill Cornell, de Nova Iorque, e publicada no Journal of Cerebral Blood Flow & Metabolism, em 2014, concluiu que uma desidratação leve pode impedir o aumento do fluxo sanguíneo induzido pela atividade cerebral e também necessário para ela. A desidratação leve corresponde a uma perda de água do organismo menor que 5% do peso corporal.

A desidratação leve pode reduzir a capacidade laboral e prejudicar as funções do dia-a-dia. “Quando há falta de água, os rins não funcionam corretamente e não haverá eliminação das toxinas pela urina, que, quando se torna mais escura, é sinal de que a quantidade de líquido necessária não está sendo consumida. Os sintomas da falta de líquidos são: sede, dores de cabeça, cansaço, tontura, náuseas, fadiga, baixo nível de concentração e, nos casos mais graves, confusão mental, perda de consciência, choque hipovolêmico, coma e até morte”, alerta o médico nefrologista.

Os efeitos podem ser piores em idosos e crianças, que não sentem sede como os adultos e também não regulam tão bem os fluidos corporais. Por isso, manter uma garrafinha de água sempre perto pode prevenir a desidratação. Pensando na facilidade e praticidade de consumo da água, a Ouro Fino possui diversos tamanhos de garrafas e embalagens.

O CEO da empresa, Marcelo Marques, conta que os tamanhos das garrafinhas foram pensados para garantir a hidratação ideal. “Nós sabemos o quanto a água é importante para o bom funcionamento do organismo. E uma água de qualidade ainda é melhor para atender a todos às necessidades nutricionais que o corpo exige. A garrafinha de 500 ml, por exemplo, pode ser a mais prática no dia-a-dia para se ter na mesa do trabalho. A Fitness, de 510ml, ainda tem o bico que facilita na hora de beber. Para levar na bolsa, a Ouro Fino 350 ml é pequena, tem a quantidade ideal para pequenos trajetos, não pesa e ainda mata a sede”, conta o CEO.

A água mineral natural tem os componentes necessários e na quantidade ideal para manter o corpo hidratado. “A água Ouro Fino tem baixo teor de sódio, um bom nível de magnésio, pH alcalino entre outros itens, que colaboram para uma visa saudável”, finaliza Marcelo Marques.

Comente...
215 visualizações
1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.