Queda capilar masculina: entenda os riscos da automedicação

Queda capilar masculina: entenda os riscos da automedicação

Manual explica a importância do acompanhamento médico nas fases de diagnóstico, tratamento e acompanhamento; em seu primeiro ano de atuação no Brasil, startup já atendeu mais de 35 mil homens

A automedicação é um dos principais riscos para a preservação da saúde e sucesso de um tratamento. No caso de queda capilar masculina, há muitas situações em que o homem procura remédios indicados por amigos ou conhecidos ou ainda após buscas em sites sobre o tema, sem consultar um médico. Os dados são expressivos: o número de pessoas que se automedicam no Brasil chega a 77%, segundo pesquisa de 2019 do Conselho Federal de Farmácia. Seja qual for a razão para não buscar ajuda profissional – vergonha, falta de tempo ou por acreditar que o remédio utilizado por um amigo pode resolver o problema -, obter diagnóstico correto é essencial não apenas para a manutenção da saúde, mas também para a qualidade do tratamento. Para auxiliar os homens a ter um diagnóstico e acompanhamento seguros, a Manual, healthtech focada em saúde masculina, está resolvendo essa equação por meio da telemedicina.
 

Com questionários analisados por médicos, a startup promove um diagnóstico assertivo, além de indicar o tratamento mais adequado para cada caso, promovendo acompanhamento médico e farmacêutico aos pacientes. O serviço oferecido pela Manual possibilita não só o acesso aos tratamentos, como também fornece informação sobre a utilização correta dos medicamentos, acompanhamento do tratamento, tempo de uso, e tantos outros conteúdos educativos disponíveis em seu blog. Tudo isso, de maneira discreta e 100% online.


De acordo com Rodrigo Brunetti, country manager da Manual, problemas relacionados à estética ainda são considerados tabus para muitos homens. “Em nosso primeiro ano de atuação no Brasil, atendemos mais 35 mil homens e percebemos que eles de fato ainda sentem vergonha de falar sobre queda capilar. Nossa tecnologia, baseada em ciência, possibilita o máximo de conforto possível, pois a consulta é virtual e a entrega do medicamento não permite exposição alguma. Pensamos em tudo com muita cautela e respeito” , afirma Rodrigo.
 

Ter conhecimento e informação são critérios fundamentais para conquistar sucesso na rotina do tratamento de queda capilar, que, no caso dos homens, pode chegar a 94% de eficácia quando são utilizados os medicamentos adequados para cada caso, além de acompanhamento e orientação para uso correto.


Além de não garantir os resultados esperados, a automedicação também aumenta a probabilidade de efeitos colaterais, causados pelo uso inadequado do produto. “É preciso olhar para saúde como um todo, não adianta resolver a queda capilar e gerar outras complicações. Estamos aqui para ajudar os homens a cuidarem de sua própria saúde e compreenderem a importância do acompanhamento médico”, finaliza Brunetti.